Despedida

Confesso que detesto despedidas. Não gosto! Ponto de Exclamação (reforçado)!

Não gostava de me despedir dos meus pais quando ia para Lisboa e ainda gosto menos quando venho para Aveiro. Daí tentar sempre ser o mais rápido possível aquando da partida. Já disse que não gosto de despedidas?

Não gosto de, quando revejo amigos e primos, ter que me despedir passado pouco tempo. É tanto o tempo que estamos afastados que quando estamos juntos só quero estar mais um bocado. É que, juro, é só mesmo mais um bocadinho... Não sei se já referi que detesto despedidas...

Mas estas despedidas têm uma coisa boa: são temporárias. Daqui a algum tempo vamos poder estar juntos, rir, falar, chorar e depois voltar a despedir-nos e reiniciar o ciclo.

A despedida de ontem é muito mais dolorosa porque é a última. Aquela que sabemos que não se vai repetir... E, por isso, dói incomensuravelmente mais! Ao menos foi uma despedida condigna, como se pedia.

A certa altura, já depois da cerimónia, em casa, a minha avó disse-me: "Sabes o que me custa mais? É que ainda só passou um dia e já estou cheia de saudades dele..."

Também nós, avó, também nós...

0 Response to "Despedida"